7 de jun de 2009

Vestígios, Museu de Arte da Pampulha - 2006


Sem interferência direta no objeto achado, Marcone Moreira o instala no espaço expositivo para imediatamente dar início a uma série de construções efêmeras que sinalizam uma certa demarcação da geometria sugerida pelo próprio objeto. Nesse processo de desenho, com pó de mármore, as formas demarcadas no chão evidenciam a contraforma, o vazio.